Aprovados no TEP 2018:

- ANA CLAUDIA CORREIA S. DAS CHAGAS

- BEATRIZ CAVALCANTI BARROS

- JOSÉ FERNANDES CARLOS JÚNIOR

- LUCIANA FIGUEIREDO GONZALEZ

- JULLIANA LEOCÁDIO BASTOS RANGEL

- LUIZ GONZAGA DA SILVA GUERRA

- MARIA ZILDA GOMES DE MEDEIROS

 


A pediatria são as pernas trêmulas ao receber pela primeira vez o recém-nascido no parto. São os olhos que se inundam de lágrimas ao mostrar a mãe o seu bem mais precioso. É o medo de machucar, é se esquecer de tudo e mesmo assim ficar com um sorriso no rosto. Nela, é tudo em miniatura e tão bonitinho, mas a responsabilidade é a maior de todas. É gente que cabe na palma da mão, que agarra com força o seu dedo e que você torce junto com a mãe para passar nos testes neurológicos. São os primeiros passos e as primeiras palavras, eles e nós mesmos descobrindo um mundo novo.

Minha descrição não seria completa se não falasse do choro estridente, dos dedinhos velozes em direção à tomada, dos banhos de xixi e das gofadas no estetoscópio. Tudo isso em nada tira a beleza dessa especialidade e em nada tira o brilho dela quando quem atua é um profissional movido por amor e assim são os pediatras.

Tem mais, a pediatria é mais de uma especialidade, ela também é “Matertria”. Em algumas consultas atende-se mais a mãe do que a criança. Entendemos a sua aflição e suas lágrimas por não saber o que a criança sente ou por não poder instantaneamente aplacar sua dor. Na verdade, essas atitudes são um sopro de alívio por sabermos que aquela criança tem amor. Infelizmente esse sentimento pode faltar para algumas crianças e a pediatria nos mostrou algumas, ainda que poucas vezes, a face ignóbil do abandono e do abuso. Então nos resta lutar contra tal absurdo e ter esperanças que dias melhores virão para esses pequenos guerreiros.

Enfim, a pediatria são descobertas a cada consulta, conhecemos até um pouco da mãe ou pai latente que existe em nós. Depois de tudo que disse, fica bem claro que pediatria é sedução, é que nem brigadeiro, impossível não gostar. Desperta a vontade de ajudar e de cuidar, a felicidade por compartilhar de momentos tão lindos e importantes, a certeza que ser médica é um sonho verdadeiro e que está prestes a se realizar.

Raissa Campos.
(Aluna do 10º período do curso de Medicina da UFRN)